segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Velhos tempos de glória.


Estou pensando em quão positivo é escrever nesse blog. Queridos poucos leitores, sempre é bom escrever e sempre é bom pegar um livro e ler. Ver filme é bom, ouvir música também e ler não é diferente. A imaginação voa. Relato este meu momento de vida tão difícil que é não saber o meu desejo profissional já com meus 23 anos. Nada me interessa. Nada. Nada. Nada.

- Filho, já pensou em...

Antes que meu pai termine eu tenho certeza que já pensei. Simplesmente pq as opções que ele sugere são as normais. Ele nunca me perguntou se eu já pensei em ser pirata nas águas africanas. E eu tbm não iria querer.

Não tenho namorada. Me divirto com poucos amigos, com poucas atividades e sempre repetitivas, mas que eu gosto muito. Só que eles (nem todos) tbm já estão crescendo e cada vez menos amigos eu tenho. Ficar adulto exige ter que lidar com isso. Ver cada vez menos seus amigos, se divertir cada vez menos. E, por mais que eu lute contra meu próprio adultério, os outros já se adulteraram. É uma batalha perdida, já posso ver. Acabaram as longas partidas de qualquer coisa, acabaram as longas tardes pra conversar sobre qualquer coisa. Iniciaram as rápidas conversas pela internet.

Não são todos, mas não são tão poucos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário